10.8.17

O Dia em que Eu Gostei de um Musical



Quem acompanha o blog frequentemente sabe que meu gênero favorito para livros e filmes é suspense, ou seja, passo longe de coisinhas fofas como romances, e principalmente musicais. Nem mesmo os filmes da Disney que são cheios de música e com dançarinos enérgicos me conquistam, na verdade, quando tenho a oportunidade eu passo rapidinho toda a parte da música, por que eu acho chato, irritante e por vezes, feliz demais.


Porém, semana passada um filme em especial me cativou, fui pega desprevenida, por que a bonita aqui não sabia que Moulin Rouge! Amor em Vermelho era um musical com drama e romance, no geral, tudo o que eu não gosto em um filme (trailer aqui). Estava eu zapeando a tv quando resolvi assistir enfim, o tão famoso Moulin Rouge que estava começando na Fox. No filme, Christian (Ewan McGregor) é um jovem escritor que se apaixona por Satine (Nicole Kidman) a mais bela cortesã de Paris e a estrela maior da casa de shows Moulin Rouge. Porém, há alguns obstáculos entre o amor do casal, e um desses é insuperável.

Fui conquistada por que este é um filme teatral. Cenário, figurino, personagens... tudo parece ter saído de uma companhia de teatro, o que torna a fotografia linda. Aliás, Moulin Rouge é tão encantador para os olhos que o filme acabou ganhando dois Oscars em 2002, melhor figurino e melhor direção de arte.


Sobre as músicas, confesso que por vezes fiquei inquieta para que acabassem logo, mas no geral, essa ansiedade foi menor do que com outros musicais que já assisti. Pelo fato do Moulin Rouge ser uma boate (ou uma casa de shows) grande parte das músicas faziam parte do contexto. Não era como se a qualquer momento um personagem começasse a cantar e figurantes saíssem do bueiro pra dançar. Houve um equilíbrio incrível entre música, dança e a situação que acontecia na cena em determinado momento.

O romance entre Satine e Christian é um tanto clichê, praticamente um amor à primeira vista que tem por objetivo ser arruinado por causa de interesses materiais e de orgulho. Mas, devo confessar que me peguei torcendo por eles até onde podia, e esse meu sentimento me deixou até mesmo um tanto confusa comigo mesma, já que costumo ser fria com casais fictícios.


Enfim, Moulin Rouge! Amor em Vermelho conseguiu ser o musical que abalou minhas estruturas.
Esse post não é apenas uma resenha ou indicação, mas também é para compartilhar minha experiência, sabe... as vezes é muito bom sair da nossa zona de conforto.
"A coisa mais importante que se pode aprender é amar, e em troca, amado ser."
Christian - Moulin Rouge!
Me acompanhe nas redes:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

* Comentários que eu perceber que são C+C serão ignorados;
* Só respondo comentários em que falam sobre o post;
* Deixe o link do seu blog para que eu possa retribuir a visita;
* Clique na aba "notifique-me" para ser avisado quando eu responder o seu comentário aqui no blog.



Feito com ♥ por Lariz Santana