agosto 11, 2016

Livro - A Garota no Trem

Já faz algum tempo que terminei de ler este livro e acabei esquecendo de falar dele pra vocês, normal. Eu sempre esqueço de trazer resenhas e afins aqui para o blog, mas, antes tarde do que nunca não é mesmo?! Eu li o livro A Garota No Trem pelo celular, no aplicativo Wattpad. Se eu preferia o livro físico? Sim, com certeza, mas o Wattpad tem uma infinidade de livros, fanfics e eu acho ele tão organizadinho que pensei que não valia a pena esperar para ler no livro em mãos se eu já tinha ele em formato digital (e de graça). Pois bem, eu nunca tive interesse em ler o livro antes de ver a adaptação no cinema, e A Garota no Trem tem estréia de filme prevista aqui no Brasil para Novembro desse ano, não vou nem colocar o trailer aqui no post para não misturarmos as coisas. Ok? Ok. Vamos falar apenas do livro por enquanto, até por que o filme ainda nem saiu e temos apenas o trailer como gostinho do que veremos nas telonas.

Esse thriller psicológico conta sobre Rachel, uma mulher que todas as manhãs pega o trem das 8h04 de Ashbury para Londres. Em determinado trecho da viajem, o trem para no sinal vermelho, e da janela Rachel observa diariamente um casal que mora na casa de número 15. Ela descreve e imagina a perfeita vida daquele casal, coloca nomes neles, Jess e Jason. Até que em mais um belo dia de viajem ela testemunha uma cena chocante da janela do trem. E poucos dias depois ela descobre que o casal que ela tanto observara está em apuros, a mulher, que ela chamava de Jess, na verdade é Megan e está desaparecida. Sem conseguir se manter alheia à situação, ela conta à polícia a cena que viu enquanto estava no trem, e mais, Rachel não se lembra de nada do que fez na noite do desaparecimento de Megan. Mas por que ela não se lembra? Aí vocês terão que ler o livro pra saber MUHAHAHAHA. Não dou spoilers, mas em compensação os deixo curiosos.
A personagem principal é a Rachel, mas o livro também tem capítulos com narrações de Megan e Anna. Pois então, Anna é a atual mulher do ex marido de Rachel, e essa por sua vez, depois da separação simplesmente não consegue seguir em frente e tomar as rédias de sua própria vida, talvez por isso seja tão fácil pra ela olhar pela janela do trem todos os dias e imaginar a vida perfeita do casal da casa número 15.

O livro não é de jeito nenhum monótono, cada capítulo me causava ainda mais entusiasmo para ler o próximo. Em alguns momentos eu tinha raiva da Rachel e em outros eu queria acolhe-la em lhe dar um abraço de amiga. Em compensação, desde o começo do livro até o fim eu não consegui gostar de Megan, nem de Anna e menos ainda do ex marido de Rachel, Tom. Pra mim esse povo todo estava de complô. 

Vi algumas resenhas sobre o livro e alguns leitores disseram que o livro foi previsível, mas sinceramente, comigo não foi assim, durante a leitura eu criei várias teorias sobre o desaparecimento de Megan e a falta de memória da Rachel, porém, pra mim as coisas só começaram mesmo a se encaixar no último capítulo quando as cartas já estavam sendo colocadas na mesa e as máscaras caindo dos rostos. A autora do livro, Paula Hawkins, colocou algumas distrações no meio da história, o que me levou a colocar em minhas teorias pessoas que no fim não tinham nada a ver com a confusão. E podemos dizer que essa confusão é enorme! Se o leitor for desatento ele se perde dentro de uma bela bola de neve de informações falsas.

O livro já vendeu quatro milhões de exemplares e vem sendo comparado com o best seller Garota Exemplar, eu não concordo, mas isso não significa que um seja melhor que o outro. Em pequena comparação acredito que o tema principal e a abordagem de suspense e thriller psicológico de Garota Exemplar é bem diferente de A Garota no Trem. 

Eu gostei muito do livro e não me decepcionei com a leitura, na verdade achei a história muito boa. A gente acaba aprendendo com a Rachel que nem sempre a grama do vizinho é mais verde, nem tudo é perfeito do outro lado da janela.

Lembrando que esse livro estava na minha wishlist literária. Outro livro que estava na minha lista de desejos, mas esse eu comprei e tenho em mãos é O Livro do Bem 2. Já havia falado sobre o primeiro livro do bem aqui no blog e quero saber se vocês gostariam que eu comentasse sobre o número 2 também, me digam nos comentários, sabem que eu fico super feliz com o feedback de vocês tanto nos comentários quanto nas redes sociais, ele é importante pra manter o blog com qualidade sempre. Espero que tenham gostado da resenha do livro A Garota no Trem. Já leram? Querem assistir o filme? Me digam tudinho! Beijos de leite e até o próximo post.

Me acompanhe nas redes:
Instagram/Youtube/Facebook/Snap:APENASLEITE 

agosto 07, 2016

Dicionário de Blogueira: Conheça alguns termos da Blogosfera

Aí você lê o título acima e pensa:"Mas o que é Blogosfera?" Ok. Talvez você saiba o que essa palavra significa, mas vamos combinar que existem algumas palavrinhas usadas no mundo do blog que as vezes é difícil saber do que se trata, principalmente se você é uma blogueira iniciante. Vamos começar por aí mesmo, a definição de o que somos, e a partir disso, conheça outros termos que invadem ou ainda vão invadir seu vocabulário quando se trata de blogs. 

 Blogueira; de acordo com o site Significados, blogueiro ou blogueira é a pessoa que cria um blog e publica informações regulares sobre qualquer tema. Então meu bem, se você tem um blog e é novo por aqui, considere-se uma blogueira.

 Blogosfera; ou Blogsfera, é tudo o que envolve elos entre blogs. É o mundo dos blogs, uma rede apenas de blogueiros para blogueiros. Portanto, se você é iniciante, bem vindo.

 Monetização; o sonho de qualquer blogueira que quer viver do seu hobby de blogar. Monetizar o blog é ganhar dinheiro com ele. Se quiserem saber algumas formas de monetizar seu blog, avisa aí nos comentários que faço um post apenas sobre isso. Lembrando que você também pode monetizar vídeos no youtube.

 Mídia Kit; tão falado quando o assunto é monetização de blog, o mídia kit é um arquivo que contém todos os dados referentes ao blog em questão. Geralmente o departamento de marketing das empresas pedem o mídia kit quando se interessam em fazer parceria com o blog, por isso é interessante que você blogueira, tenha um. Tem mais informações importantes sobre o assunto no blog Não Me Mande Flores.

 Parceria; a parceria tem o mesmo significado dentro e fora da blogosfera. O famoso "uma mão lava a outra", mas, a palavra "parceria" é mais utilizada quando o assunto se refere a empresas e marcas + blogs. A empresa e a blogueira(o) determinam cooperar entre si de uma forma que o resultado seja positivo para ambas as partes. Se também quiserem que eu faça um post sobre esse assunto, me avisem nos comentários.

 Publipost ou Publieditorial; é quando uma empresa combina com uma blogueira para que ela produza o post em questão, afim de divulgar os produtos ou serviços da empresa. Tal post pode ser ou não cobrado em dinheiro pela blogueira, e nem sempre o publipost é sinalizado aos leitores, no meu caso, sempre deixo uma nota no fim do post comunicando que é um publipost.

 Template; mais chamado de layout, o template é a identidade visual do seu blog, é do cabeçalho até o rodapé, é o que seu leitor vê. Um layout bonito e bem organizado, é na minha opinião, algo essencial.

 Newsletter; quando o leitor, assina a newslwtter do seu blog, ele passa a seguir seus posts por email, sempre que você atualiza seu blog com um novo post, o assinante recebe o texto no email dele.

 Blogroll; é uma lista com os blogs preferidos do blogueiro em questão. 

 Blog Planner; como uma agenda, o planner é utilizado para organizar itens importantes. Existem alguns planners específicos para blogueiras que são gratuitos pra baixar da internet. Baixe alguns aqui, aqui e aqui. Dessa forma fica mais fácil organizar posts, vídeos, dias para tirar fotos de looks e etc. Aliás, tô pensando em criar um blog planner para o ano que vem e deixar aqui pra vocês baixarem, o que acham?


Estes são alguns termos usados dentro da blogsfera. Espero que tenha esclarecido a dúvida de alguém e me avisem caso eu tenha esquecido de alguma palavra indispensável no nosso vocabulário blogueiristíco — essa fui eu que inventei. Eu coloquei o termo template aqui, mas futuramente quero fazer um post apenas com os significados que envolvem o layout do blog. Acham que isso seria útil à vocês? Beijos de Leite e até o próximo post.

Me acompanhe nas redes:
Instagram/Youtube/Facebook/Snap:APENASLEITE

agosto 02, 2016

Minhas Primeiras Impressões Sobre a Série Stranger Things

Quando li a sinopse dessa série eu pensei: "Como assim conseguiram misturar anos 80 com ficção científica, garotos de 12 anos e mistério?!" Foi muito pra eu digerir. Se você ainda não sabe do que eu estou falando. Segue a sinopse e o trailer de Stranger Things, mais uma das séries originais da Netflix.
A história começa quando um garoto, Will, de uns 12 anos desaparece em sua pequena cidade chamada Hawkins. Em uma busca incessante pelo menino começamos a perceber que o mistério, mais do que um desaparecimento sem vestígios envolve também alguns experimentos secretos do governo.

O título do post tem a expressão "primeiras impressões" por que a Netflix disse que a série possivelmente terá renovação, além disso, eu ainda deixei de assistir três episódios para terminar por completo a primeira temporada, hihi. Então tá, notas dadas é hora de falar sobre essa série que eu mal conheci e já considero pakas.

Stranger Things numa tradução bem livre e claro, de acordo com o Google Tradutor, significa Coisas Estranhas, e gente, bota estranho nisso! Cada episódio que terminava eu ficava com cara de tacho e me perguntava que loucura toda era aquela. Eu não sou a louca das séries e muito menos viciada, felizmente eu consigo viver tranquilamente sem ter que acompanhar vários eps de histórias diferentes — A diferentona. Então eu passei a assistir Stranger Things por que tinha muita gente falando bem e a série por enquanto tem a primeira temporada terminada contendo apenas 8 episódios. Pensei "opa, vai ser como assistir um filme e não vou me apegar." E foi assim mesmo.

O Casal

Como toda série que se preze tem o casalzinho pra gente shippar, e mais, a mocinha da história é envolvida num triângulo amoroso que além de shippar é pra gente também formar teams. Tudo bem que eu acho que isso é uma boa jogada de marketing, mas esse tipo de coisa vem desde a época dos folhetins que depois passou pras novelas, todo mundo gosta de torcer pra um casal da ficção. Todo mundo quer ver o amor vencer não é mesmo?! Mas já vou contando que o casal da série não é o centro da história. Obrigada. De nada. Amo vocês e isso não foi spoiler.

O Mistério

Mas além dessa parte "romântica", a série nos prende por outra jogada de marketing, o mistério. Sinceramente, abandonei Pretty Little Liars na quarta temporada por que achei muita enrolação, comecei a me sentir uma boba sendo usada pelos produtores da série, nada acontecia e ao invés de responder minhas perguntas elas me enchiam delas a cada episódio. Existem muitas séries por aê a fora entrando nesse nicho de mistério, é bem claro que isso realmente prende o telespectador, afinal, nós queremos saber a verdade por trás dos fatos. O ponto positivo de Stranger Things em relação a isso é que as nossas perguntas são pouco a pouco respondidas, o mistério vai sim sendo desvendado, não tem enrolação e você não precisa assistir 2.000 episódios pra saber o que está acontecendo. Apesar de conseguirmos montar mais peças do quebra cabeça a cada episódio assistido, a série te prende e você fica ansiosa pra saber o que haverá no próximo capítulo. Stranger Things não é uma série tranquila, tem o jogo do suspense e do terror sim, a coisa toda te deixa mesmo aflita.

As Mulheres

Estamos vivendo na era do Power Woman, as mulheres tem ganhado espaço e voz, estamos tendo um grande papel em vários nichos da sociedade, inclusive nas telonas e telinhas. Em Stranger Things Winona Ryder dá vida a personagem Joyce. Uma mulher trabalhadora que cuida de seus dois filhos sozinhas e vê a si própria como louca quando Will, seu filho mais novo é dado como desaparecido. Ela faz de tudo á procura de Will e promete acha-lo, mesmo depois de ter uma comprovação de sua morte. (isso não é spoiler, se assistir a série entenderá). Joyce é uma mulher muito forte e vai contra tudo e todos atrás de seu filho, sem dúvida é uma personagem para ficar na lista daqueles que conquistam nosso coração. Outra mulher que no começo se mostra frágil mas por dentro é guerreira é Nancy, a mocinha do triângulo amoroso que se mostra não ser tão "mocinha", por assim dizer. Nancy é sim uma mulher corajosa e que corre atrás do que quer.  E apesar de ter um papel secundário, também vi na mãe de Nancy uma mulher muito forte e preocupada com aqueles que ama. A única personagem que deixou a desejar um pouco no quesito "Poder Feminino" é a Onze, a garotinha esquisita que veio do laboratório da cidade e que tá estampado na cara dela que ela era tratada lá como cobaia de algum experimento antiético. Na minha opinião a menina podia ter mais falas por que na maior parte das vezes ela é monossilábica e isso me dá nos nervos, quem sabe futuramente seus dons possam dar-lhe maior auto-confiança.

As Crianças

Antes de começar a assistir a série eu achava que as crianças eram as protagonistas da história, mas eu estava enganada, quer dizer, sim, elas tem um papel importante, mas não achei tão importante quanto o de Joyce. Acabou que eu cheguei à conclusão de que as crianças poderiam apenas sair da série e se enfiar em qualquer filme de sessão da tarde que eu nem iria notar a diferença.

A Década de 80'S

Eu não era nem nascida na década de 80 — A Novinha, mas estudei muito sobre ela na matéria de história do meu curso de moda, então, posso dizer que o cenário dos anos 80's foi bem recriado na série. Vemos posters de filmes antigos nas paredes, a decoração das casas é ambientada totalmente na década, além de roupas e cabelos que estavam na moda na década. Além disso temos direito a uma bela trilha sonora de ótimas músicas dos anos 1980 enquanto assistimos os episódios. A série é puramente uma bela homenagem a essa década.

No geral a série é muito boa. Evito assistir coisas que envolvem sobrenatural do tipo fantasmas, demônios, bonecos assassinos e coisas do tipo, mas em paradoxo suspense é meu gênero favorito para filmes, séries e livros, então eu acabo selecionando bem o que me vem de informação e divertimento em relação a isso. Stranger Things  mostra que não precisa apelar para o sobrenatural do lado negativo pra ser uma série boa, que te deixa inquieta e sedenta de mais história. Indico e vou terminar de ver os três eps que faltam para terminar a história haha. Espero que tenham gostado do post, sei que ficou grande, mas não posso conter alguns textos, a ideia do blog é trazer à vocês leitoras e leitores conteúdo completo e de qualidade, então tem coisas que pra serem completas não dá pra resumir. Lembrando que o texto foi feito de acordo com minhas primeiras impressões, minha opinião que vai servir (ou não) de motivação pra vocês começarem a assistir uma série nova. Contem-me nos comentários se gostam de textos assim e se já conheciam a série. Ahh, e não esqueçam de clicar em "notifique-me" abaixo da caixa de comentário pra que quando eu te responder você possa ser notificado. Beijos de Leite e até o próximo post.

Me acompanhe nas redes:
Instagram Youtube Facebook Snap:APENASLEITE 

© Apenas Leite e Pimenta - 2013 - 2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Leslie Leite.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo