27.11.17

5 Coisas Que os Adolescentes Precisam Parar de Fazer!


A algum tempo atrás eu estava conversando com alguns amigos sobre a época da escola, e chegamos à conclusão de que a adolescência (e pré-adolescência) pode ser muito linda, mas esse período da vida também é  bem cruel. E foi essa conversa que me inspirou a escrever este post, onde eu trago cinco situações às quais você, querido(a) adolescente, precisa começar a agir de forma diferente. Minha credibilidade é que faltam quatro dias pra eu fazer 24 anos, ou seja, eu já passei por essa fase, e é em vista da minha experiência que eu lhe dou os conselhos listados aqui.

1. Pare de se preocupar demais com o seu futuro. Enquanto a gente cursa o último ano do ensino médio o nosso mundo começa a entrar em colapso. As perguntas que mais te fazem é: "Você vai fazer o ENEM? Já sabe o que vai cursar na faculdade?" A pressão é enorme. Mas, não se preocupe. Vamos partir da primeira verdade sobre esse assunto, ninguém aos dezesseis anos devia decidir o que vai fazer pelo resto de sua vida. Um exemplo, desde que eu tinha uns cinco anos eu desenhava e dizia que queria ser estilista, com o tempo, os meus desenhos começaram a ficar mais profissionais, e a minha mãe confiava de que eu ia mudar de ideia quando crescesse, afinal, teoricamente, trabalhar com moda é difícil. Pois bem, terceiro ano da escola e eu queria cursar design de moda, era o meu sonho, mas, por pressão (não só da minha mãe, como também de outras pessoas), eu comecei o curso de Administração de Empresas, nada haver com criação, nada tinha haver comigo. O  professor falava de números, estudos de casos, como não ser uma pessoa medíocre na vida (história real, tive uma aula inteira sobre mediocridade) e eu ficava desenhando nos cadernos, fazendo Lettering quando essa arte ainda nem tinha nome. Depois de cinco meses eu cancelei minha matricula na faculdade e um ano depois fiz um curso técnico de Design de Moda, me senti realizada, mas, ainda faltava alguma coisa. Apenas anos depois eu descobri que eu gosto mesmo é de toda forma de Design, eu gosto é de criar. Hoje eu trabalho com ilustrações, eu faço aquilo que gosto e sempre fiz, desenhar. E a vida é assim, a gente precisa viver e amadurecer pra ter certeza de algumas coisas, além disso, nem tudo na vida sai como planejado. Então, não seja muito sistemático, isso pode ser extremamente decepcionante, e se as coisas não saírem como você imaginou, isso não significa que você é fracassado ou... medíocre. Faculdade não é sinônimo de sucesso. Faça planos sim, mas não se apegue a eles.

"O limite não existe" você pode tudo na vida, mas o sucesso é relativo.
2. Pare de se importar com opiniões alheias sobre você. É normal querer ser aceito por um grupo quando se é adolescente, e saiba que isso não muda muito depois de adulto. Porém, quando a gente é jovem tudo é muito intenso, parece que se não temos companhia no recreio da escola por exemplo, é por que o mundo está acabando, e pra ser aceito a gente começa a fazer coisas surreais, como parar de ser quem realmente somos. Então, evite esconder sua opinião só por que ela não é igual a de todo mundo, pare de usar certo tipo de roupa que você nem gosta só pra ter a aprovação de alguém, não use isso ou aquilo só por que alguém usa. Inspiração é diferente de cópia. Seja você mesmo. Quanto mais cedo você começar a se ver como individuo insubstituível e exclusivo, mais rápido você vai pessoalmente se entender e descobrirá o quanto você é incrível.

"Ás quartas-feiras nós usamos rosa"
3. Pare de se sentir mal com o seu corpo. Puxando do assunto anterior, forme-se como individuo e acolha sua forma de pensar, mesmo que seja diferente da maioria, e por fora, aceite o seu corpo. Entre a pré-adolescência e a adolescência o nosso corpo fica totalmente desequilibrado, eu mesma parecia uma vara de cutucar lua, alta com ombros largos, seios fartos e nenhum quadril. Pra mim não era visualmente harmonioso, eu invejava minhas amigas que com a mesma idade que eu tinham quadris voluptuosos, já elas, queriam ter um busto como o meu. Com o tempo eu fui ganhando corpo e de repente eu tinha minhas tão desejadas ancas largas, como minha vó dizia. Mas eu ainda não me sentia feliz, por que com o meu quadril veio um aumento de peso. Atualmente, não vou ser hipócrita, não gosto da minha barriga, apenas convivo bem com ela, mas quanto ao meu peso e o meu corpo no geral, já me aceitei. Eu penso que se tivesse começado a me gostar mais cedo, todo esse processo de mudança teria sido bem mais fácil.

"Que se dane, eu vou comer batata frita com queijo"
4. Pare de achar que seus pais são os piores do mundo. Durante a adolescência a gente se acha invencível e as vezes a falta de liberdade de nos irrita. E quem estabelece o nível da sua liberdade são os seus pais, por isso, na maior parte do tempo eles acabam sendo seus inimigos. As vezes parece que eles querem saber demais. Meu pai sempre foi atento, porém, mais sossegado que a minha mãe, que me perguntava onde eu ia, com quem, a que horas eu ia voltar e se eu estava levando o celular. Além disso tudo, ela ainda fazia um sermão sobre como me cuidar sozinha, um pequeno discurso que ela repetia desde que nasci e eu já sabia de cor. Eu achava isso muito irritante. Sem contar quando ela cortava meu barato e não me deixava fazer o que eu queria. Tenho certeza que você também já passou por isso, mas, a alguns dias atrás eu li uma frase que me fez meditar, "você já parou pra pensar em quantos "nãos" da sua mãe já te salvaram de problemas?". O fato é que mãe e pai (geralmente) só querem o bem dos seus filhos, então, nossos pais nos colocam regras e limitam a nossa tão desejada liberdade visando o nosso bem estar, é um ato de cuidado, por que eles já passaram pela fase que você está passando, eles sabem as situações que provavelmente vão dar merda e querem te poupar disso. Até que ponto isso é certo eu não sei, mas eles tem boas intenções. E claro, você pode aos poucos conquistar sua liberdade e a confiança dos seus pais, veja aqui um vídeo bem bonitinho que fala sobre isso. E também, em todos os casos da vida, tentar conversar é sempre um ótima ideia. Se você acredita que seus pais não te entendem, senta e conversa. Abra seu coração.

"Eu não sou uma mãe regular. Eu sou uma mãe legal!"
5. Pare de achar que o Crush do momento é o amor da sua vida. Como eu disse anteriormente, tudo na adolescência é intenso, e isso não podia ser diferente com relação ao amor. Porém, geralmente, os "crushs" são apenas paixões platônicas, pode ser que você nem nunca fale com ele(a) e tá aí sentindo que vai morrer se ficar sabendo que a pessoa começou a namorar. Tempo e sentimento perdidos. PLDD, pega esse seu papel de trouxa e escreva nele uma lista com coisas mais interessantes que você pode fazer na vida ao invés de perder tempo pensando em alguém que nem sabe que você existe. Aproveite sua adolescência para curtir essa fase de descoberta, tenha mais amigos do que crushs, e poderá descobrir que um desses amigos combina tão bem com você, que futuramente ele pode até se tornar o amor da sua vida.

"Isso é tão legal!" (fetch não tem uma tradução 100% correta para o nosso idioma, uma pena)
Como disse na introdução, escrevi esse post com base nas minhas experiências, aliás, acabei contando sobre várias situações que eu passei, servindo-lhes de exemplo. Eu sinto que vivi bem a minha adolescência e ela fez parte do meu crescimento pessoal, mas teria evitado alguns acontecimentos desagradáveis se eu tivesse seguido certos conselhos.

Espero que tenham gostado do post. Se você é adolescente, me conta aí nos comentários como têm sido essa fase de vida pra você. Caso já seja adulto, quero saber se tem mais algum conselho que você queira dar aos mais jovens (me senti A Idosa agora, rs). Beijos de Leite e até o próximo post.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

* Comentários que eu perceber que são C+C serão ignorados;
* Só respondo comentários em que falam sobre o post;
* Deixe o link do seu blog para que eu possa retribuir a visita;
* Clique na aba "notifique-me" para ser avisado quando eu responder o seu comentário aqui no blog.



Feito com ♥ por Lariz Santana