03 setembro 2023

Sob a Perspectiva da Ansiedade




Ansiedade e depressão

Olá amadxs leitorxs! Meu marido conseguiu arrumar meu computador que havia queimado, porém, ainda tenho um problema relacionado ao teclado dele e estou tentando resolver, de qualquer forma, enquanto não compro um notebook novo, estou tirando o blog do hiatus aos poucos. Não pretendo postar com a mesma frequência de antes, mas meu cantinho pessoal na Internet não ficará abandonado.

E como aqui é meu lugar, quero falar um pouco sobre o que me aconteceu hoje e a minha perspectiva sobre a situação.

Domingo. Dia de curtir com a família e descansar. Mas, também é o dia que eu saio um pouco da minha rotina, e pra quem tem transtorno de ansiedade, mesmo uma coisa simples como ter um dia diferente, pode ser um problema.

Meu sogro convidou a família pra almoçar fora e lá fomos nós, no meio do caminho eu já não estava me sentindo bem, comecei a tremer sem motivo, senti taquicardia, minha voz ficou fraca e eu sabia o que estava por vir, uma crise de ansiedade.

Meu marido notou que eu não estava bem e quando chegamos no destino ele pediu pra que sentássemos em uma mesa perto da porta, pois quando estou a beira de uma crise ter um local "de fuga" me acalma. Na hora de ir ao buffet montar meu prato eu desviei e fui ao banheiro, fiquei lá por um tempo tentando controlar os sintomas da ansiedade. Infelizmente não adiantou, com a voz embargada voltei pra mesa onde estavam todos da família, e disse que não estava me sentindo bem, que por isso, eu iria embora. Meus sogros ficaram preocupados, mas entenderam e eu voltei a pé sozinha pra casa deles, a sorte é que o restaurante ficava perto.

Assim que saí ao ar livre a brisa no meu rosto já me fez sentir melhor, e também passei a respirar com mais calma. Mas durante o percurso eu chorei. Não eram lágrimas pela ansiedade, mas pelo que eu já perdi por causa dela durante todos esses anos

Quando saí do restaurante percebi que havia perdido a oportunidade de almoçar com a minha família, eu queria estar lá pra ver o Ravi, meu filho, experimentando o que o buffet tivesse pra oferecer, queria rir das piadas do meu sogro, queria comentar sobre como o dia hoje estava quente e como eu gostava desse clima. Mas não deu. E a dor não é só por hoje, mas por várias outras situações difíceis pelas quais eu já passei por causa da ansiedade.

Cheguei na casa dos meus sogros, deitei na cama do quarto de hóspedes (antigo quarto do meu marido e do irmão dele), e desabei. Sozinha. O nó na minha garganta foi se desfazendo, às vezes chorar é libertador. Me acalmei, mas meu corpo não, os sintomas da ansiedade ainda se faziam presentes. Fiquei deitada até que minha família chegou, meu bebê veio correndo até mim e Meu Deus! O sorriso do meu filho me cura de uma forma inacreditável!

Fui tentando me reestabelecer e até consegui comer um pouco da marmita que me trouxeram. Depois fui brincar com o Ravi no quintal, e aos poucos fui melhorando, trocando meu estado de alerta e ansiosa,  pela tranquilidade de se curtir um domingo tão bonito.

Hoje eu perdi um almoço em familia, mas pelo menos passei o resto da tarde em companhia deles, o que me consola é saber que eu conquistei inúmeras coisas na vida mesmo sempre levando a ansiedade a tira colo. Sei que essa não foi a minha primeira crise, e nem será a última, mas desejo que conforme o tempo passa eu possa me tornar ainda mais forte.

4 comentários:

  1. O facto de você escrever sobre as crises pode significar que está no controle, o que é meio caminho para as conseguir dominar. Não se culpabilize, com ajuda médica e familiar, chegará o dia em que serão apenas passado. Muita força e siga em frente.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Que bom que você já tem esse conhecimento e sabe quando não está bem. Vai passar.

    Boa semana!

    O JOVEM JORNALISTA está em HIATUS DE INVERNO do dia 21 de agosto à 14 de setembro, mas comentarei nos blogs amigos nesse período. O JJ, portanto, está cheio de posts legais e interessantes. Não deixe de conferir!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
  3. Não se sinta culpada por perder outros momentos, você não tem controle sobre isso e por isso não é sua culpa. Crise de ansiedade é horrível eu já tive algumas vezes em algumas fases da minha vida, pra mim o pior era não conseguir respirar, me sentindo sufocada e vendo o sofrimento das pessoas que eu amo tentando me ajudar sem saber o que fazer.. Eu agradeço a Deus que não tive nesses últimos anos.
    Espero que você fique bem e que bom que você pode curtir outros momentos quando eles chegaram.
    Beijos!!
    https://www.pamlepletier.com/

    ResponderExcluir
  4. Leslie, sinto muito por essas crises. Também tenho ansiedade e nem sempre é fácil. Mas sabe, você soube lidar nessa situação. Por mais que a sensação tenha sido de "perdi esse momento", você sabia que na hora o melhor era ir para casa. ♥ E o importante é que no final todo mundo estava ali e você soube valorizar os pequenos gestos, como o sorriso do seu filho, a marmita que trouxeram. Isso é valioso!

    Aos poucos, a gente vai aprendendo a lidar, a respeitar nossos limites e saber que chorar alivia também! E compartilhar esses momentos com seus leitores, têm um poder que talvez você nem imagine. Espero que tudo esteja bem. Um dia de cada vez! ♥

    Beijos, Carol
    www.pequenajornalista.com

    ResponderExcluir

➤ Comentários rasos e sem sentido não serão respondidos e retribuídos.
➤ Se você NÃO leu o post ou o assunto NÃO te interessa, NÃO COMENTA!
➤ A você que leu o post e vai fazer um comentário pertinente ao assunto, meu muito obrigada.
O mais breve possível passarei em seu blog para retribuir o carinho.

© APENAS LEITE E PIMENTA 2013 | 2021. Todos os direitos reservados.
Layout e codificação: GLEICY HANER - DESIGNS E FOTOGRAFIA .
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo